Marcelino Miranda, Bonieck e Hedla Lopes

Cabra da Peste e Ironman Fortaleza

Escrito por

Elano Ribeiro é servidor público e triatleta amador. É formado em Direito pela Universidade Federal do Ceará e mora em Fortaleza. Casado, pai de dois meninos e uma menina, concilia a correria da vida com o amor pelo esporte. Ingressou no mundo da corrida através da família de sua mulher, e nunca mais parou. Com pouco mais de 1 ano de corrida, fez sua transição para o triathlon. Tem afeição especial pelos aspectos que envolvem o treinamento e provas de endurance.

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK

12 Comentários

  1. Joka disse:

    Tirando o do Hawai esse é o verdadeiro IMB o da peste….kkkkkkkkkkkkkkkk Ainda vou fazer !!!!

  2. Cruiff Pinto disse:

    Parabéns Elano. Conseguiu retrarar um pouco sobre o “TRIATHLON MAIS DIFICIL DO BRASIL”.
    Parabéns a federação pela organização da prova.

  3. Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

    Opa! Finalmente terei oportunidade de ir à Kona! =)
    Acho que vou gostar da desgraça! Veremos!

  4. Francisco Regis Moreira disse:

    Grande Elano, primeiro gostaria de ti agradecer pela forma de me incentivar quando mais precisei na corrida acho que foi por volta do km 15 e ainda restavam 5 km e sua ajuda foi muito importante naquele momento, meu muuuuito obrigado Amigo !! Agora, se esse IRON vim pra bandas de ca como comenta, sera muuuuuuio duro esse Formato, viu ? Mas é como vc mesmo disse, tem que botar pra moer mesmo e encarar a KONA Brasileira Que sabemos onde fica muuuito bem !!! Grande Abraço Amigo.

    • Elano Ribeiro disse:

      Grande Régis,

      Fez uma excelente prova. Não foi fácil mesmo. Mas você foi lá e fez. E quando o Iron chegar por aqui, não tenho dúvidas de que estaremos lá também. Que ele venha. Estamos aguardando ansiosamente.

  5. Glauber Lima disse:

    É rapaz, subir ali com o vento contra é muito duro. Ainda bem que um IM 70.3 ou 140.6 nunca acontecerão naquele local. (risos)
    Assim como para nós é MUITO DURO fazer uma prova em um local MUITO FRIO, assim também é MUITO MAIS DURO fazer uma prova por aqui se a pessoa só estiver acostumada com o clima do sul.
    Fica aqui o seu alerta para os outros tri-colegas desse Brasil pensarem e se planejarem para o “problema” de se fazer uma prova com o sol e vento que temos aqui em cima. Principalmente se for um 140.6.
    Abração.

  6. Jorjáo Leite disse:

    Sem mencionar que no mar parecia que estava nadando no liquidificador

    • Elano Ribeiro disse:

      Jorjão,

      Nem mencionei o mar porque já peguei piores ali. Mas, sem dúvida, não estava fácil. Sofri muito na natação, pois fiz a grande besteira de não treinar (NATAÇÃO) desde o Ironman em maio. NUNCA MAIS REPITO ESTA BOBAGEM!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também...