Foto: Costelaria Ponta de Agulha - Fpls/SC

A culpa é da costela!

Escrito por

É graduada em Direito, professora e consultora ambiental, por opção. Triatleta, maratonista e Ironwoman. Aos 29 anos, sendo 10 dedicados a corrida (asfalto, cross e montanha) e 6 ao triathlon, sua maior paixão é enfrentar grandes desafios. Descobriu nas provas de longa distância sua vocação. Do esporte herdou a paciência, determinação e perseverança, as quais leva consigo em sua vida. Recentemente, transformou a sua própria mãe em uma das corredoras mais rápidas de sua faixa-etária. Impossível? Somente até você conseguir!

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK

13 Comentários

  1. Adolfo Neto disse:

    Valeu a pena! Quem não trocaria uma costela por um ironman? Acredito que a maioria da população! :)

  2. João Magalhaes disse:

    Que palhaçada, uma falta de respeito com os dois mil atletas que se dedicaram e treinaram duro. Isso sem falar que ele tirou uma vaga de quem estava realmente disposto a encarar um Ironman.

  3. Luis Fernando Oliveira disse:

    O cara tá se achando o máximo. Não passa de um idiota, que demonstra total desrespeito pelo esporte e pelos atletas.

  4. Rafael Zobaran disse:

    Acho curioso esse comportamento que se espalha na web, cada vez mais comum, de pessoas que ofendem gratuitamente umas as outras numa explosão de indignação injustificável. Quem não gostou da saga do Euler contada nesse post, que não consegue vê-la com bom humor, então que pelo menos entenda que esse é apenas um pequeno pedaço da história. Eu não conheço o Euler, não faço ideia do que aconteceu, mas suponho que, apesar do texto e das fotos bem humoradas, naquele momento de profunda solidão ele estivesse tentando assimilar com tristeza a sua derrota. Para desistir, talvez ele tenha sentido a dor de uma lesão, não acordou bem naquele dia, ou então percebeu que o monstro IM era grande demais para ser enfrentado, sei lá. Antes que saibamos de toda a verdade, quem sabe aproveitamos um pouco para nos divertir.

    • Vivian Dombrowski disse:

      Rafael,
      Eu nem ia comentar os tais comentários…mas já que você puxou o assunto..
      Comentários desse tipo mostram exatamente o que NÃO é o espírito Ironman: falta de respeito e humildade.
      Pessoas que se acham Deus para julgar sem nem saber a história toda.
      E por fim: FORAM 2200 INSCRITOS E 1629 CONCLUINTES. Acharam ruim o Euler parar? E os outros 570?
      São 571 histórias diferentes.
      Fiquem ligados no dia 07/06, 11h pra não perderem a inscrição.

      • Adolfo Neto disse:

        Mas Vivian e Rafael,

        uma questão importante é: vocês não acham que deveria haver um tempo mínimo de qualificação para o Ironman? Não falo que foi o caso do Euler. Mas já ouvi esta reclamação de você mesmo, Vivian: de gente que pega a vaga sem ter o adequado preparo. Um tempo mínimo num Ironman 70.3 ou algo parecido não seria o suficiente para filtrar inscritos sem preparação?

        • Vivian Dombrowski disse:

          Eu não sei se o Euler estava sem preparação.
          Ano passado eu ia pra fazer o IM em 12h. E tinha tudo pra isso, até que um staff me derrubou da bike e eu fraturei uma vértebra. Terminei meu iron com quase 14h. Sou pangaré por isso? Tirei a vaga de alguém? Intercorrências em provas longas todos estamos sujeitos…e não cabe a ninguém julgar porque fulano parou ou não largou. Ninguém é Deus para julgar assim.
          O que eu achava injusto é: pessoa que se inscreve porque o amigo, vizinho, colega se inscreveu, por modinha mesmo, por status, e sabe que não vai treinar pra isso, Eu já cheguei a ler coisas do tipo: “podia cancelar a inscrição e até pedir o $ de volta mas pelo menos vou ter um kit maneiro, tá pago mesmo.” Isso sim eu acho sacanagem, considerando a disputa que é pelas vagas.
          Muitos já levantaram essa bandeira, Adolfo, de ter índice mínimo ou pelo menos uma maratona e um 70.3 antes. Rolou uma discussão boa. O problema, porém, é que muitos se inscrevem no IM sem ter corrido uma maratona e fazem lá 11h, 42km sub 4h. Eu li sobre o campeão de um IM que pulou do olímpico direto pro Ironman e ganhou. Então é relativo. Tem muita coisa pra considerar.
          O que acho que deve prevalecer sempre é o respeito.

        • Rafael Zobaran disse:

          Olá Adolfo. Sabe, não tenho uma opinião formada sobre isso. Essa coisa de qualificação pode ser muito injusta, principalmente com quem treina muito mas participa de poucas provas para documentar. No caso específico do Ironman, não acredito que os organizadores queiram analisar mais de 2 mil currículos. Valeu, um grande abraço.

    • Daniel disse:

      Também faço minhas as suas palavras. Ironman é uma prova esportiva e não a passagem para o Olimpo. Como toda prova esportiva, está aberta à participação e, pelo que consta, a competição é acirrada desde o primeiro minuto de inscrição. Então, vamos parar de mimimi e pensar no que importa.
      Achei engraçada demais a história e ele vai contar para os netos e pra quem quiser ouvir. E quem ouvir vai dar muita risada. Fiz um ironman e não me sinto em nada ofendido. Pra quem não sabe da história do nosso esporte, o primeiro Ironman no Havai…que não foi em Kona, tá cheio dessas histórias.
      Pra ele (Euler), quem sabe, essa experiência tenha sido muito mais importante que qualquer tempo que os “caça tempos” (a base do vácuo e de e qualquer aditivo durante a temporada de treinos) possa ter.

  5. Daniel disse:

    Parabéénnss Rafael e Vivian

  6. ailton disse:

    Já fiz 5 ironmans e vejo a necessidade urgente de haver a necessidade de qualificação dos atletas amadores, pelo bem do esporte e até da saúde de alguns. Ironman não é São Silvestre em que qualquer um pouco preparado se inscreve, e corre poucos riscos. É um esporte duro, mas está virando moda, e algumas pessoas com muito dinheiro e sem o preparo devido se inscrevem para poder se exibir aos amigos, e tiram a vaga do atleta que realmente se empenha. Quem quiser fazer o ironman deveria antes passar por modalidades do triatlhon (short, olimpico e meio ironman), e essa obrigação não seria antidemocratica.

    • Vivian Dombrowski disse:

      Ailton,
      Essa questão de ter provas no currículo, tempo comprovado, todos os anos é levantada mas ficamos sempre na mesma. Isso tem que partir da organização, a qual é uma empresa comercial, visa lucro pois vende um serviço.
      Concordo contigo que o IM está virando moda e o pessoal se inscreve para se exibir. Esses estão bem além do espírito Ironman. Aprendi com o treinador que me preparou para o Ironman ano passado, que essa é uma prova que exige respeito e humildade, desde a inscrição. E é exatamente isso.
      Comentei abaixo, em resposta ao Adolfo, que já cheguei a ler “me inscrevi mas nem treinei. Mas não vou pedir reembolso da inscrição pq já pago mesmo e o kit é maneiro” – o que pensar de uma pessoa assim?

      Ironman no Brasil sempre é cercado de discussões. Tomara que havendo mais um, as coisas fiquem mais claras.
      Obrigada pelo comentário! Abraço!

  7. Tarciso disse:

    Gente, mas que bobagem, o cara estava lá disponível no período da inscrição, fez a inscrição e pagou, então ele faz o que quiser com a prova dele. O cara não é profissional, não vai ganhar nada terminando o ironman sofrendo desde o início do pedal. Se tem nego mais treinado que ele, não interessa, ele está dentro do regulamento, se inscreveu e resolveu desistir no meio da prova. Se ele tivesse desistido por uma dor muscular, estaria todo mundo dizendo que ele fez certo. Então, deixem o cara comer quantas costelas quiser. Eu mesmo estou indo agora pra maratona de São Paulo sem ter feito um treino adequado por meus motivos, pessoais e profissionais. Se eu quiser desistir no meio da prova e comer um churrasco, ninguém tem nada com isso.

    Viva e deixe viver… q chatice hein…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também...