supplements-for-muscle-17032011

Suplementar ou não suplementar, eis a questão!

Escrito por

Aline Carvalho Engenheira por formação, triatleta por opção, dotada de uma mente inquieta típica de filósofos, com grande paixão pela leitura. Tem a psicologia como força motriz de suas relações. Executiva de uma empresa multinacional, concilia sua rotina estressante no trabalho com seus treinos para provas de longas distância, que vão desde maratonas e ultras até Ironman. Conserva um sonho arrojado: disputar o RAAM, uma prova de ciclismo tida como uma das provas mais difíceis do mundo. Em seu curriculo esportivo contam 13 maratonas, 3 ultras, 1 meio Ironman e 2 Ironman. A sua maior emoção no esporte foi completar Comrades Marathon.

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK

30 Comentários

  1. Elano Ribeiro disse:

    Aline,

    Passei pelo mesmo processo que você. Também não dava o crédito merecido aos suplementos. E sofri um pouco com isso. Nunca fui de negar treino, e sempre me esforcei. Mas tenho que admitir que cheguei a treinar bem cansado, sem render e correndo riscos.
    Comparando meu Ironman 2011, já com alguma suplementação, mas ainda bem tímida, com meu Ironman 2013, cujo os treinos e prova foram com uma suplementação considerada satisfatória, posso afirmar que os suplementos são essenciais PARA QUEM FAZ O QUE NÓS FAZEMOS (que fique claro!).
    Não digo que eles façam mágica! Não vão te dar performance pela simples ingestão dos mesmos, sem que você cumpra o treinamento adequado. Porém, é aí que entra a diferença básica entre um treinamento com e sem suplemento. Na minha experiência, o treinamento com a suplementação te deixa apto a realizar os treinos dia após dia. E fazer bem feito. Eis a diferença!
    Belíssimo post! Parabéns.

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Elano,
      Hoje em dia penso que quero guardar toda a minha capacidade de sofrer para correr mais rápido, pedalar mais forte e sobreviver à água! Kkkkk
      Tenho dó de quem ainda acha bravura treinar sem água, correr sem géis. Uma pena sofrerem mais do que precisariam!
      Vamos em frente!
      Beijo e bons treinos!

  2. Roberto C. de Mello (Beto Ultra) disse:

    Muito bom, em um único texto resumiu tudo que precisamos para um treino ou uma corrida perfeita, apenas vai diferenciar de algo que seja pessoal de cada um, uma ou outra coisa.

    Parabens.

  3. Diógenes Hoffmann disse:

    “Lá vou eu de novo” hahhhah Muito bom texto penso que tecnologia tem que ser usada sim porque senão não tem sentido evoluir e digo isso em todas as áreas e principalmente na saúde. As necessidades evoluem porque tudo evolui. A única coisa que vejo de outra perspectiva é o financeiro. Depende de onde eu estou, quanto eu treino e quanto eu tenho pra poder dizer que vale mais a pena o suplmento do que alimentos “normais”. Assim com aquela história das sapatilhas x tênis eu adaptei meu treino às minhas condições financeiras e logísticas. Exemplo prático: treino longo? bom café da manhã ( gasto o que gastaria normalmente ) + durante o treino eu suplemento e ainda como banana/mariola/passoca e etc + pós treino é no máximo um repositor porque já estou perto do almoço. Acredito muito na tecnologia e se tivesse condições usaria muito mais porém vendo os caras comendo banana e tomando coca-cola durante o pedal no Tour de France me pergunto também se não devemos deixar espaço para o “prazer”.

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Diógenes,
      Adoro seus comentários! Sempre muito bem pontuados! Como é sempre difícil cobrir todos os pontos e eu tenho tendência a escrever demais, fico te deixando estas super brechas para cutucadas! O que é ótimo, afinal de contas, se não tiver nada pra ser comentado, nada pra ser acrescentado, não ouviria nada e evoluiria menos! A troca é sempre bacana!
      Voltando ao seu ponto. Inegavelmente, há suplementos que apresentam um extra no orçamento. Outros seriam substituições. Alguns são necessários e outros um luxo. Quando você diz que faz o que cabe no seu bolso, apesar de acreditar que o bom uso da tecnologia é bem-vindo, eu não tenho nada a “combater”. O que eu acredito é que há situações onde o preço é equivalente e vale a pena considerar a troca.
      Mais fantástico que o comentário acima é o do TDF! Admito que quando comecei a frase, lá vieram os pensamentos preconceituosos: “putz, vai dizer que os caras fazem então deve funcionar”, mas você me deu uma cotovelada: “por que não deixar espaço para o prazer?”. Sensacional! Eu não discordo em nada. O que eu sempre questiono e continuarei questionando é usar coca com banana afirmando que é a mesma coisa, sem admitir que a razão é prazer.
      Jamais me intrometeria nas prioridades alheias e acho que as pessoas fazem o que querem, “desde que” o façam de forma consciente.
      Super obrigada pela presença e apareça! Bons treinos!

  4. Luis Fernando disse:

    Aline, já usei, já parei de usar… Leio muito, pesquiso um monte, sou leigo, mas não sou topeira. A maior parte da “ciência” que eu vejo sebre o assunto é propaganda mal disfarçada.

    Minha opinião atual é, resumidamente, que você tem que treinar seu corpo pra ser eficiente no uso da nutrição. E usar suplementos em treinos trabalha justamente contra esse objetivo. Em suma, se você somar o gasto calórico em uma prova longa (escolha) e tentar repor isso com gel, você logo vê que a conta não fecha. E não fecha porque o seu corpo tem que buscar energia em outras fontes que não carbohidratos, principalmente gordura. E isso é aprendido, é treinado.

    Mas quero ver a conversa evoluir. Parabéns pelo blog

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Luis, teu ponto é bem mais profundo e eu acho que uma coisa não impacta a outra. A não ser que a tua proposta seja não usar nada. Porque se me disser que usa melado, rapadura, batata e afins, vou continuar achando melhor usar suplementos, frente às minhas preferências e premissas.
      Você poderia me explicar o que e como consome durante um treino de corrida de 5h de pedal ou 3h de corrida? Acho que com base no que faz, teremos mais elementos para discutirmos! Quero entender o que faz! A gente evolui trocando “experiências”, não é verdade?

      • Luis Fernando disse:

        Aline, acho que nossa eventual divergência é mais uma questão do horizonte temporal. O que eu quero dizer é (1) Estou preocupado com o meu desempenho ao longo dos próximos vários anos. Idealmente eu quero estar praticando trialhon até cair morto, de preferencia com 99 anos; (2) Assim, quero fazer coisas que maximizem minha “sustentabilidade”, que me tornem mais eficiente, que me permitam fazer melhor uso do que eu já tenho; (3) filosoficamente, acredito que a melhor maneira de fazer isso é usando o que eu já tenho ou que eu posso aprender a obter, sem ter que acrescentar nada extra.

        Por isso que eu tenho tentado treinar meu corpo a usar os estoques calóricos da gordura, por exemplo, que são muito maiores do que, por exemplo, do eu conseguiria repor consumido gel ou isotonico/energético.

        De resto, confesso meu ceticismo com a “ciência” por trás da maior parte dos complementos que eu vejo. Os “estudos” de um certo fabricante de isotonicos, por exemplo, são risíveis. Tenho sérias dúvidas sobre os efeitos metabólicos de longo prazo desses produtos.

        Mas o assunto é bem legal e a conversa está boa. Obrigado pelo post, mais uma vez.

  5. Adolfo Neto disse:

    Muito bom o post. Vou ler depois com mais calma. Só faltou discutir um pouco o efeito placebo. Segundo o prof. Tim Noakes (da mesma África do Sul onde você fez a Comrades – ele próprio várias vezes concluinte desta prova) alguns suplementos funcionam via efeito placebo. Não que isto seja ruim, mas é bom ter consciência pois desta forma se pode economizar um pouco.

    Como funciona o efeito placebo? Por exemplo, quase todo corredor tem sal suficiente no corpo para correr uma maratona sem se precisar repor as perdas de sal durante a prova (no suor). Isto quer dizer que suplementar com sal não ajuda? Não! Pode ajudar sim. Como? Enganando o cérebro! Ao consumir uma cápsula de sal, o cérebro é enganado achando que vem uma refeição e “libera” mais energia para a corrida.

    O mesmo vale para carboidratos. O próprio Tim Noakes fez um experimento onde dava água com adoçante (sem carboidratos) para um grupo de corredores e isotônico para outro grupo. Os resultados foram semelhantes.

    • Luis Fernando disse:

      Outra maneira de conseguir que o cérebro “libere a mixaria” é treinar justamente essa situação, Adolfo. Mas veja que a gente frequenta as mesmas fontes :-)

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Oi, Adolfo!
      Acho que estudar é super bacana! Sempre fui bem nerd! Fiz engenharia, mestrado na área, depois outro mestrado… Leio, leio, leio. Quando comecei a treinar e a me preocupar com a alimentação, eu comecei a me aprofundar nos métodos de treinamento, nos benefícios de determinadas substâncias, o que é bacana consumir junto ou separado.
      Em algum momento, percebi que o meu perfil “engenheiro” não lidava bem com a variabilidade do corpo humano. Tudo depende, tudo é específico e pessoal. E mais: como mudamos ao longo do tempo e ao longo do dia, algo só é válido pra você de forma categórica numa fração de segundos. Logo caduca! Isso enlouquece um engenheiro!
      Fui percebendo que a experiência de quem lida com isso no dia a dia e trabalha com o assunto tem uma bagagem e uma experiência que eu jamais teria: o histórico do ciclo “estímulo-feedback” de vários atletas. Parece contraditório, mas mesmo sendo únicos e específicos, há muitas coisas que se mantém dentro de uma normalidade (considerando o termo normal da estatística).
      O que eu conclui disso tudo? Que eu tinha que ser competente em duas coisas: saber escolher bons profissionais (coach, nutri, médico, fisioterapeuta) e saber reconhecer as minhas próprias reações.
      Dito isto, com suplementos, minha postura é a seguinte: experimento e observo a reação. Ao contrário de você, vejo os produtos com efeito cientificamente comprovado ou com efeito placebo com excelentes olhos! Se meu corpo reage a ele, se engana meu cérebro e a mim mesma, o treco FUNCIONA! Percebe!?
      Nenhum estudo será pra mim mais forte que a minha própria experiência de uso! Se estudos dizem que funciona e eu não sinto, não usarei! Mas se dizem que não funciona e eu sinto, eu usarei!
      A única coisa que realmente evito é se fizer mal e/ou tiver uso contra-indicado pelos profissionais que me orientam. Muitos dizem que fisio preventiva não serve pra nada. Eu faço e adoro. Faz mal? Não. Eu acho que evita lesão? Sim! Ninguém vai me convencer do contrário!
      Valeu pela visita! Beijo e apareça!

      • Adolfo Neto disse:

        Ótimo! Concordo com seu ponto de vista (usar e observar em si mesmo).

        Só uma coisa: eu não sou contra placebos. Tanto é que estou faz tempo procurando em lojas de suplementos as tais das cápsulas de sal que os triatletas usam (não estou dizendo que sejam placebo para triatletas – seriam placebo para mim, numa prova de 21K). Até hoje não achei.

        Abraços,
        Adolfo

  6. Helio Ferreira Junior disse:

    Belo texto. Bem esclarecedor. Sou adepto de suplementação e isso me ajudou bastante. Obrigado pelas dicas e sucesso nas suas corridas.

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Oi, Helio!
      Que bom que já encontrou a suplementação! Acho que temos que fazer uso da tecnologia e usar em nosso favor!
      Faz corridas curtas ou longas? O que tem usado?
      Beijo e apareça!

  7. Maurício Fedatto disse:

    Suplementação eu acabo tirando de letra. Cheguei ao seu post através de conteúdo de ciclismo, que é minha atividade secundário, meu foco é a musculação. Para as articulações dê uma pesquisada nos benefícios de se utilizar condroitina combinada a glucosamina.

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Olá, Maurício!
      O pessoal da “maromba” dá atenção à suplementação. Sempre falo que para emagrecer e sair correndo, é bem simples: coma menos e coloque tênis nos pés e vá. Mas ninguém ganha massa muscular sem treinar BEM CERTO e se alimentar BEM CERTO.
      Quanto à glucosamina, sim sim! Você está certo! Eu escrevi este texto “duma vez” e quando cheguei neste ponto do texto não lembrava de jeito nenhum o nome… Deixei pra colocar quando revisasse e esqueci! Peço desculpas! O Elano tinha comentado sobre isso também!
      Obrigada pela visita! Apareça!

  8. francine lopes disse:

    realmente adorei, ler esta matéria eu corro 7 anos não , tomo nada somente bcc , já corre 5 maratonas levo 2 gel mais tomo somente um, loucura não fico dolorida maratona foz , muita subida 3:10 tempo. por isso não isto dor eu abuso , mais nunca e tarde para mudar.

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Olá, Francine!
      Realmente é um privilégio correr uma maratona em 3h10, tomando apenas um gel e não tendo qualquer tipo de dor.
      Por outro lado, penso que uma avaliação com um nutricionista esportivo e a utilização de suplemento (géis, isotônicos, BCAA, dentre outros) poderia fazer com que você se sentisse ainda melhor! Quem sabe isso não faria você correr ainda mais rápido?
      Eu fiz 10 maratonas antes de começar a usar suplementos! Sentia-me bem! Só percebi que poderia me sentir melhor quando comecei a tomar suplementos.
      Meus tempos de maratona estao bem longe do seu! Minha melhor tem o tempo de 3h49.
      Um grande beijo e bons treinos!

  9. Lucas Porfírio disse:

    Aline, parabéns pelo texto! Mas devemos ter cuidado com os excessos. Por exemplo, vc falou que utiliza vitamina C, mas ao mesmo tempo usa um polivitamínico, Endurox (q já tem 100% dos VDs de VitC), géis e outros suplementos q tbm possuem, fora a alimentação! A hipervitaminose C é grave, inclusive o efeito antioxidante pode se inverter. Mas é isso ai, é como o amigo ai falou, vamos enriquecer a conversa! Valeu e bons treinos!

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Olá, Lucas!
      Certamente temos que ter cuidado! Meu conhecimento se resume ao de “usuária”. Por isso não uso nada que não tenha sido recomendado por um nutricionista esportivo, bem como há os exames de rotina e a visita ao médico do esporte para acompanhamento.
      O caso da vit C me chamou a atenção por dois aspectos:
      (1) Você afirma que o Endurox já tem tudo o que precisa. Tem? Em qual medida? Porque posso tomar uma dose de meio scoop ou 1 scoop ou 2 scoops. Tenho uma certa aversão às afirmações categóricas.
      (2) Nunca tinha ouvido dizer em intoxicação por vit C.

      Em relação a (1), o que queria dizer já foi: a gente tem que cuidar para entender bem os volumes e as quantidades, tanto as ingeridas quanto as necessárias.
      Já a (2), vou conversar com meu médico do esporte e nutri para entender porque nunca ouvi dizer. Não estou duvidando de você, sei que está estudando medicina e que estuda o assunto. Dei uma pesquisada rápida e achei o que ratificou o que eu já tinha ouvido “A vitamina C tem sido utilizadas em dosagens acima de 100.000 mg no tratamento de doenças graves — mais de 1000 vezes acima da dose diária recomendada — sem efeitos tóxicos. Porém, a vitamina C tem em forte efeito laxativo, tipicamente quando a dosagem de vitamina C está na faixa de 5-20 gramas por dia para uma pessoa com “boa saúde”, fonte “Vitamin C, Titrating To Bowel Tolerance, Anascorbemia, And Acute Induced Scurvy Robert F. Cathcart, III, M.D. 1994”.

      Você tem material sobre esta intoxicação por vit C? Sobre os reais riscos e as doses que levariam a estes riscos? A quantidade de casos em que foram identificados atletas intoxicados pelo excesso de vit C? Quero estudar o assunto pra entender.

      Obrigada, Lucas! E apareça! BONS TREINOS!

  10. Luis Fernando disse:

    Aline, vamos chamar de “serendipity” , mas este artigo é bem a propósito.

    target="_blank" href="http://www.levelrenner/2013/08/02/long-run-too-much-emphasis/?utm_source=feedly" rel="nofollow">http://www.levelrenner/2013/08/02/long-run-too-much-emphasis/?utm_source=feedly

  11. Edilson Luz disse:

    Aline, parabéns pelo post. Muito bem feito e esclarecedor. Publiquei o link no face, espero que não se importe. Valeu! Bons treinos e sucesso!

  12. Victor Pinto disse:

    Aline,
    Muito bom o texto. Qual o seu custo mensal para manter a suplementação nesse nível?
    Abraço e parabéns pelo blog.

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Oi, Victor!
      Perguntinha do milhão, hein!? Eu diria que pra manter a suplementação em nível máximo, usando tudo o que podemos e o que é necessário quando estamos em fase de alta intensidade, chega em algo como 1500-2000.
      Se fizer uma suplementação mais caprichada nos longos e mais simples nos curtos, uns 1000, falando sempre de produtos TOP.
      Obviamente, a adequação da suplementação deve ser feita a tudo, inclusive ao bolso.
      Beijo e apareça!

  13. Elcio Oliveira disse:

    Ola Aline Carvalho
    Pratico corrida de rua a uns 6 anos. No momento estou treinando para a maratona de Sao Paulo 2015. Minha alimentacao e a base do arroz com feijao, ou seja faço exames clinicos anualmente mas nunca usei nenhum suplemento. Nao faço nenhum aquecimento ou outro tipo de exercicio, simplesmente coloco o tenis e saio para correr. Quando termino um longao de 35 km fico todo arrebentado.
    Estou pensando em mudar essa maneira meio empirica de correr so por correr. Quero um dia correr uma maratona e terminar bem.
    Pela sua experiencia, voce poderia me passar algumas dicas. Quanto aos suplementos sempre tive medo de usar os produtos por nao ter o conhecimento de qual produto poderia me ajudar sem prejudicar a minha saude.

    Saudacoes

    Elcio

  14. Roberto disse:

    Oi Aline Carvalho,
    Gostei muito do seu site, lendo o seu relato de como prefere suplementar fiquei em dúvida com relação a dosagem de Beta-alanina, pelo que li na internet indicam ser o “ideal” o uso diário de 5g e a minha dúvida vêm por conta de que o produto que encontrei é com cápsulas de 5g, ou seja, uma só drágea já completa as recomendações diárias sugeridas em alguns sites e que se for repetida em 1h20 conforme prefere, já dobra e, se a prova se estender por mais tempo e for ingerido uma outra dose eu terei consumido aí 15g no mesmo dia. Favor comentar com relação a dosagem por você utilizada e se é um drágea ou em pó?
    Desde já obrigado pelos esclarecimentos! :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também...