ACEITA-Integração-entre-mídias-sociais-ajuda-na-visibilidade-da-marca-ou-empresa2

Sonhos impossíveis: o câncer das mídias sociais!

Escrito por

Aline Carvalho Engenheira por formação, triatleta por opção, dotada de uma mente inquieta típica de filósofos, com grande paixão pela leitura. Tem a psicologia como força motriz de suas relações. Executiva de uma empresa multinacional, concilia sua rotina estressante no trabalho com seus treinos para provas de longas distância, que vão desde maratonas e ultras até Ironman. Conserva um sonho arrojado: disputar o RAAM, uma prova de ciclismo tida como uma das provas mais difíceis do mundo. Em seu curriculo esportivo contam 13 maratonas, 3 ultras, 1 meio Ironman e 2 Ironman. A sua maior emoção no esporte foi completar Comrades Marathon.

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK

16 Comentários

  1. sueli disse:

    Perfeito!
    Ser o melhor que podemos com aquilo que temos!
    Desenvolver o potencial a cada dia e não tentar ser outra “coisa”.
    Alegria de viver é isso: ser inteiro!
    Bjo

  2. Zequinha Monteiro disse:

    O Papo de Esteira sempre na frente para as reflexões e este seu blog tem que ser mais e mais divulgado para que todos ou todas possam ler e meditar. Parabéns pelo texto Aline Carvalho.

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Oi, Zequinha!
      Obrigada, viu!?
      Fico feliz por contribuir para as reflexões alheias através das minhas próprias reflexões!
      Um beijo e vamos em frente!

  3. cláudio gomes disse:

    parabéns Aline Carvalho … belo texto … bela reflexão … pauto meus desafios pessoais numa busca constante de um auto-entendimento … de uma leitura do que sinto … até mesmo da intuição, sempre procurando estar ao lado de bons profissionais … somos únicos … portanto diferentes … se quer se espelhar, olhe-se no espelho ! abraços.

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Perfeito, Cláudio!
      É exatamente o caminho que eu acredito! Autoconhecimento somado à escolha de bons profissionais, com foco em fazer o melhor que posso.
      Obrigada pela visita!
      Um beijão!

  4. Victor Pinto disse:

    Se não pode voar, aprenda a admirar o voo dos pássaros

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Perfeito, Victor!
      Que todos sejam capazes de admirar habilidades que não temos!
      Quero falar da dificuldade que alguns têm! Vulgarmente conhecido com inveja! =)
      Um beijo!

  5. Michele Almeida disse:

    Aline, parabéns pelo texto. Colocações precisas que fazem a todos refletir. Meus desafios são para que eu vença a mim mesma, que sou minha maior adversária. Nesse quesito, vale a máxima “cada um no seu quadrado”.

  6. Cláudio disse:

    Parabéns por mais um belo texto! Realmente todos temos sonhos. Mas devemos saber serparar o que é possível do que não é. Às vezes pessoas se miram em exemplos de transformações de pessoas da mídia, mas esquecem que estas pessoas vivem disso e pra isso. E, a grande maioria de nós, tem trabalho, família e diversas outras atividades que não nos permite ter a mesma infraestrutura à disposição, seja de meios, tempo e alimentação.
    O seu texto tem algo semelhante com algo que já li em outros lugares: “Concedei-nos Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não podemos modificar, coragem para modificar aquelas que podemos e sabedoria para distinguirmos umas das outras.”
    Bons treinos!

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Quando tive contato com esta frase pensei “Putz! Demorei tanto tempo para concluir algo que já estava escrito há décadas”. Isso acontece com frequência! Hehehehe…
      Obrigada pela visita e parabéns pela lucidez!
      Estar atento é boa parte da jornada!
      Um beijo!

  7. Deborah disse:

    Acho que existem formas de vc estimular pessoas a saírem do sedentarismo através de transformaçoes e historias reais de outras pessoas,sim, pq nao? Não falo aqui das web celebridades que vivem disso. Falo de pessoas normais, como nós, que recheiam o instagram de “projetos”.
    As pessoas conseguirem ver que pessoas “normais”, como elas, que trabalham, têm filhos, estudam, malham, fazem marmita, podem conseguir emagrecer, fazer uma maratona sub3h ou um iron sub9h, é sim, um super estímulo.
    Conheço mtas meninas que se espelham em “projetos” do instagram e alcançaram objetivos que antes, para elas, eram impossiveis.
    O que vejo, é que as pessoas, hoje, são carentes de apoio. Apoio que deveria vir da família, elas acabam encontrando em redes sociais. Pessoas que precisam de uma motivação externa pra levantar da cama, pra comer bem, pra malhar. Pode parecer loucura? Até pode. Mas conheço inúmeras histórias de pessoas que se resgataram, que resgataram seu amor próprio através das redes sociais.
    Nao acho que seja loucura, uma pessoa que nunca correu 5km, se espelhar em quem já fez uma maratona.
    Esse fds, conheci uma menina, que era 20kg mais gorda, emagreceu se estimulando pelo ig e correu os primeiros 5km da vida, inspirada numa corredora que fez uma maratona. Ela SABE que pra chegar numa maratona é uma longa caminhada. Mas se superou correndo 5km, porque há 5 meses atrás, não subia uma escada sem ficar ofegante. E terminou a prova sem andar. Essa menina chorou mais que eu, quando corri os meus primeiros 42km.
    Inspirar-se não significa ser igual. Inspiração é espelhar-se. E qual mal de espelhar-se em alguém pra ser melhor, se vc não consegue, por algum motivo, ser a sua própria inspiração?

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Oi, Deborah! Você é a famosa “Debs”? A #colanadebs? Que honra! =)

      Se não é, que honra da mesma forma! Por quê? Porque vai me dar a oportunidade de explicar um pouco melhor. Eu sabia que poderia ser interpretado desta forma, como se eu achasse que estas coisas são “ruins”.

      Falando de mim, uma das coisas que mais gosto de fazer é ajudar as pessoas, influenciar as pessoas, gerar algo positivo na vida delas, normalmente, isso é possível através do esporte.

      O meu ponto aqui não é me posicionar contra o que eu mesma faço ou contra o que você faz. Mesmo falando de mim, tomo cuidado de incentivar coisas mais tangíveis.

      Muitas pessoas olham pra mim e falam: mas eu não consigo treinar de manhã e de noite todos os dias da semana e também aos finais de semana. Eu quero que esta pessoa entenda e descubra o que é bacana pra ela.

      Não somos iguais, nem todos podem correr uma maratona abaixo de 3h mesmo com toda a dedicação do mundo, eu acredito nisso. Não quero que esta pessoa se frustre ou deixe de correr por causa disso. Consegue entender a diferença?

      As pessoas se sentem intimidadas (não todas, algumas) de dizer que caminharam por 30 minutos, sempre ouço coisas como “isso pra você não é nada”. Faço questão de dizer que não sou parâmetro pra ela.

      Desejo que você continue movendo multidões de pessoas para o esporte, que continue fazendo bem a várias pessoas e que tenha sempre isso em mente: nem todas as pessoas se motivam com as mesmas coisas. E estas pessoas também podem fazer parte da vibe.

      Nem é algo que nós temos que fazer, é algo que as próprias pessoas precisam perceber, mas como acabamos tendo alguma exposição, podemos ter mais cuidado com nossa postura para não espantar.

      Um beijo e sucesso!

  8. Flavio disse:

    Legal o Texto Aline.
    Pro triathlon não virar mais um trabalho, acredito ser importantíssimo adequar nossas expectativas.
    Frustração é, provavelmente, um dos maiores motivos pro pessoal abandonar.
    Agora, e quando você é o mais lento da equipe? Haja sabedoria pra traçar metas factíveis e se alegrar com as conquistas!
    Que tal um texto sobre isso?

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Puxa, Flavio! Duas alegrias: sua visita e sua sugestão de tema! Vou escrever sobre isso. Tenho certeza de uma coisa: esta pessoa certamente tem mais oportunidades de ser uma pessoa interessante. Despertar monstros internos e aprender a lidar com eles é o que faz de nós pessoas melhores! Tema anotado! Vou escrever!
      Obrigada²!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também...