20130511-150444.jpg

Livre-se das suas próprias desculpas! Sem mi mi mi!

Escrito por

Aline Carvalho Engenheira por formação, triatleta por opção, dotada de uma mente inquieta típica de filósofos, com grande paixão pela leitura. Tem a psicologia como força motriz de suas relações. Executiva de uma empresa multinacional, concilia sua rotina estressante no trabalho com seus treinos para provas de longas distância, que vão desde maratonas e ultras até Ironman. Conserva um sonho arrojado: disputar o RAAM, uma prova de ciclismo tida como uma das provas mais difíceis do mundo. Em seu curriculo esportivo contam 13 maratonas, 3 ultras, 1 meio Ironman e 2 Ironman. A sua maior emoção no esporte foi completar Comrades Marathon.

COMENTÁRIOS NO FACEBOOK

25 Comentários

  1. Fernanda Ferraresi Fernandes disse:

    Admiro muito!Excelente texto para reflexão!

  2. Zequinha Monteiro disse:

    Muito mais que uma filosofia!
    Seu texto é uma cartilha educadora para todos nós.
    Vejo como vale a pena ler os post`s do papo de esteira.

    Continue com esta qualidade. Um tri abraço

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Oi, Zequinha!
      Você é um fofo! :o)
      Eu gosto bastaaaaaaante de escrever mesmo. E de pensar! Hehehehe…
      Super obrigada pelo carinho e apareça!
      Um beijo!

  3. Maria Claudia Rocha disse:

    Nossa que felicidade ver um post seu…..apesar de não saber sou sua fã e acompanhei seus vídeos pra MundoTri de seu Ironman (até baixei um para aquele dia que meu cérebro arrumava mil desculpas pra não treinar ou eu estava de mimimi rsrsrs). Excelente texto!!! Me fez repensar várias desculpas que dou. Abraços

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Ooooooooooooohhhh! Que fofa!
      Puxa, não me prive do privilégio de ter contato com esta energia boa e de saber que levo uma mensagem bacana “por aí”.
      Boa parte da minha energia vem de pessoas como você, com as quais troco “good vibes”.
      Costumo escrever sobre minhas próprias reflexões e por isso costumo ser dura, como sou comigo mesma.
      Volte sempre! Um grande beijo!

  4. Marcos Zamith disse:

    Muito bom!!! Uma “aula” contra o mi mi mi… rsrs
    Valeu!!! Bjo.

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Xô, saco de desculpas! :o)
      Temos que alinhar com uma “arrogância humilde”, cientes que de somos capazes e também de que temos nossos limites!
      Um beijo!

  5. Elano Ribeiro disse:

    Aline,

    Excelente texto para quem está às portas de um Ironman. O momento exige este pensamento positivo. Treinou bem? Treinei! Então esquece as possibilidades de problemas e continua teu planejamento pré e durante a prova. Tudo conspirará para dar certo.

    Abração

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      UFA, Elano com B!
      Que bom que este é o seu caso! Seria fatal ler isso com as sacolas cheias de desculpas!
      Desejo que seu dia seja brilhante! Estarei lá dando a maior força!
      Todas as vezes que me bate a vontade de andar, penso “Sai pra lá! Treinei pra isso e vou aguentar!”
      O melhor dos dias! Nos vemos na Av. Búzios! \o/

  6. Aydano disse:

    Diversas vezes procurei desculpas para encobrir alguma coisa. Somente quando percebi que o melhor é passar por cima delas, consegui alguma evolução. Excelente texto Aline!

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Aydano,
      Sabedoria está na nossa capacidade de se perceber e evoluir!
      Falo à vontade sobre este assunto porque trabalho em mim mesma!
      Dar desculpas é sedutor… Pega boa parte de nós! :o)
      O importante é ver a cilada em que estamos nos metendo!
      Apareça!
      Beijos

  7. jane Oliveira de Carvalho disse:

    Exelente matéria!!!
    Beijos de sua admiradora numero 1

  8. Mauro Monteiro disse:

    Fala Aline, passei para ler o artigo e mandar um oi.
    Gostei do artigo ( !!! ).
    E….oi !!!! rs
    Vou correr agora , sem mi mi mi to voltando aos treinos !!!!!
    Uhú !!
    Bjs fraternos,
    MM

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Aeeeeeeee!!!!! Que beleza, MM!!!!
      Obrigada pela visita! E obrigada pelo elogio ao texto!
      Desejo a você uma volta em grande estilo e com muita alegria!
      Como foi a corrida?
      Um beijo!

  9. Vitor Marques disse:

    Aline,

    Adoro seus posts…

    Quanto ao assunto, ao meu modo de ver, a motivação vem de dentro da pessoa, mesmo quando o estímulo é negativo que seria uma superação pessoal.
    Durante treinos, procuro ‘viver” a prova para me motivar. Mentalizo o percurso, me imagino cruzando o pórtico de chegada.Procuro fazer meus testes de roupas e equipamentos antes, treino até com tudo como se estivesse no dia.
    Faço as mesmas práticas que você mencionou poque tenho em mente que tudo que faz nos treinos é feito na prova.

    Parabéns e bons treinos.

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Oi, Vitão!
      Obrigada! ;-)
      Eu uso a mesma técnica que você: mentalizo demais a chegada! Bom demais!
      Sei que você se cuida e não é chegado a mi mi mi!
      Vamos marcar umas corridas!
      Beijos.

  10. Luis Fernando Oliveira disse:

    Eu mesmo nunca consigo chegar em uma largada e pensar, como você Aline, “fiz tudo o que deveria”. Eu só fiz o que consegui fazer, o que vai ser insuficiente sempre. Mas acho que essa insegurança é boa, dá uma perspectiva mais respeitosa.

    No final das contas, existe uma linha fina que divide como encaramos uma prova longa. De um lado existe a confiança realista, aquele respeito saudável pela distancia, que normalmente te leva até o final da prova, mas pode te deixar com uma sensação de que “sobrou alguma coisa no tanque”. De outro, a expectativa irreal, baseada no pensamento mágico, que resulta quase sempre no desapontamento daquela “quebrada” no meio da prova, mas que pode te levar, em um dia perfeito, ao recorde mundial pessoal.

    • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

      Oi, Luis!!
      Respeito à prova SEMPRE! Tenho tanto medo, mas tanto medo que busco cumprir 100% a prescrição. Normalmente consigo. Além de alimentação, fisioterapia, suplementação. Tudo o que posso.
      Já fiz maratona rodando no pico 65km e também já rodei 120km. Há fases em que treino mais e fases que treino menos. No entanto, sempre seguindo rigorosamente a planilha, que se adapta às minhas fases.
      Se já fiz prova mal treinada? Já! Acontece também. Obviamente, busco não alucinar e respeito o ritmo pro qual estou treinada. Não gosto de largar insegura.
      O que mais quis explorar aqui são aqueles vacilos que podemos MESMO evitar. Balada pré Ironman!? Pra que? =)
      Achar o ritmo certo é o grande desafio! Mas eu nunca tentei ir além do que treinei.

      • Luis Fernando Oliveira disse:

        Pô Aline, desculpa aí, fui reler e vi que pode ter ficado a impressão que falei que quem é seguro na largada não respeita a prova (ou algo do tipo). Longe de mim. Eu fico é com inveja de quem pode olhar a prova que esta por vir e falar com
        convicção “venha, minha nega”.

        • Aline Carvalho Aline Carvalho disse:

          Luis,
          Não há de que se desculpar!
          Eu é que fiz questão de reforçar o que penso porque acho o respeito à prova fundamental!
          E a minha melhor forma de enfrentar os medos é seguindo o prescrito! E ter um treinador capaz de adaptar os treinos à nossa vida é super importante!
          Um beijo e bons treinos!

  11. Rodrigo Kaveski disse:

    Aline, sei que os triatletas são, em sua maioria, uma “espécie” extremamente competitiva, mas vou relatar um “auto-exemplo” que talvez não mude, mas faça os atletas amadores repensarem alguns conceitos.

    Fiz 3 Bertioga-Maresias SOLO. Na primeira, treinei sem assessoria, mas treinei; na segunda, treinei com assessoria, e na última simplesmente optei por não treinar, só pedal com aqueles grupos de “night-bikers”, que sabemos serem mais um passeião do que qualquer outra coisa. Nem academia fiz.

    Pois bem, cheguei na largada tranquilo, sem pressão alguma, não tinha aquela responsa em ver o resultado do sacrifício. Consegui ver meus amigos, participar de confraternizações, churrascos, algo que os treinos sempre me tiraram. Aconteceram erros de comunicação com o carro de apoio e eu simplesmente falei “ok, no probs, segue pro próximo PC”. Fiz a corrida mais natural e sem neura da minha vida, despreocupado, tranquilo. Foi a prova que menos levei suprimentos, porque, se faltasse algo, eu compraria qualquer coisa em qualquer buteco.

    Reultado? Meu melhor tempo na prova. Os caras que chegaram uma hora antes ou uma hora depois ganharam exatamente a mesma coisa que eu. Será que vale tanto compromisso? Eu acho que não. E meus números dizem o mesmo. :)

    Bjão.

  12. Elen disse:

    Ótimo texto.
    Se continuar a aceitar as próprias Desculpas, sempre irá aparecer uma nova. Chutar o saco de desculpas e seguir em frente sempre.
    Boa prova Aline.

  13. Tânia disse:

    Só para agradecer sempre o incentivo !!! A injeção de animo diária …. Rsrsrs
    Simplesmente coerente !!!
    Bjks

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também...